Mídia

HSMAI Brasil na mídia

Começa terceira edição de Strategy Conference da HSMai Brasil em São Paulo

Começa terceira edição de Strategy Conference da HSMai Brasil em São Paulo

A HSMai Brasil iniciou hoje (10) pela manhã no hotel Hilton Morumbi São Paulo, a terceira edição da sua Strategy Conference HSMai, evento realizado anualmente e que analisa, entre outros temas, marketing digital, estratégias comerciais, revenue management e cases de sucesso no Brasil e em outros países do mundo.

Ana Luísa Masagão, ex-Rio Quente, e integrante do board da HSMai no Brasil, abriu o evento convidando Paulo Salvador, diretor de distribuição da Intercity Hotéis e Alex Fiz, vice-presidente de Vendas para o Caribe e América Latina da Marriott International para a apresentação do primeiro painel do evento, denominado “Consolidações – Novos Tempos, Novos Modelos”.

Paulo Salvador, diretor de distribuição da Intercity Hotéis

Paulo Salvador fez a introdução à apresentação de Alex Fiz, citando as últimas grandes negociações do mercado como a recente aquisição de 30% da 25hour Hotels pela Accor e a aquisição da Starwood pela Marrriott. Alex Fiz, que participou do evento por meio de vídeo-conferência, pontuou os números atuais da companhia após a fusão com a Starwood, entre outros êxitos como o pioneirismo no oferecimento de check-in e check-out via smartphone e a adoção da política de sinal wi-fi gratuito em todos os empreendimentos.

As transformações de grandes redes como a Marriott e a Accor, cuja estratégia mais recente está voltada à negociações como a parceria com a 25hours Hotels, foi o tema central do primeiro painel. Confira alguns pontos levantados por Ana Luísa Masagão.

Até quando teremos os movimentos de consolidação?
“Acho que vai continuar. A Marriott com essa fusão conseguiu acumular 16% da oferta de quartos nos Estados Unidos e 6% mundialmente. Acho que o movimento não para por aí e continua. Do lado dos buyers também. A grande conquista da Marriott e da Accor é ter o controle da densidade de distribuição, aumentanto o marketshare e falando de igual para igual com os grandes compradores”, opinou Paulo Salvador.

Quais os principais impactos para os hotéis independentes?
“Os hotéis independentes tem hoje em dia a oportunidade de se filiar a um sistema de distribuição global, portanto não estão ameaçados. O que eu diria hoje é: cuidem da reputação dos empreendimentos, façam com que eles sejam bem vistos nas redes sociais, interagindo e se engajando cada vez mais na comunicação com os hóspedes”, diz Salvador.

Alex Fiz concorda com Salvador e pontua: “É muito importante para os hotéis independentes optarem por uma experiência de marca, oferecida pela Marriott por meio das marcas Tribute, Autograph e Luxury Collection, por exemplo. Além de um bom sistema de distribuição, há de se ter uma grande marca por trás, com uma grande campanha de marketing”.

Depois do Airbnb, será que surgirão outros players?
“Temos de ficar de olho em uma empresa chamada Alibaba. Implantaram recentemente o Alitrip, que não quer ser apenas mais uma OTA na China e sim uma nova experiência de Vendas para o cliente”, diz Salvador. Fiz finalizou o painel reiterando a opinião de Salvador, e afirmando que a Marriott também já possui uma estratégia comercial para a Alibaba.

Fonte: Hôtelier News